LÂMPADAS FLUORESCENTES: VANTAGENS E DESVANTAGENS

Leonardo Carlos (3º B)

As lâmpadas fluorescentes cada vez mais ganham o espaço que antes pertencia as incandescentes. Mas quais seriam as vantagens de sua utilização? Segundo o Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica (Procel), ela é a que mais economiza luz ( até 75% em relação as incandescentes, que também são conhecidas como amarelas). O menor consumo está relacionado ao modo como as duas funcionam e à quantidade de energia elétrica gasta para gerar uma mesma quantidade de luminosidade.

Como a medição de gasto é feita? A quantidade de luz é medida pelo fluxo luminoso, cuja unidade é o lúmens, abreviado lm. O consumo é medido em quilowatts por hora (KWh), ou seja, está ligado à potência da lâmpada. Isto significa que uma lâmpada fluorescente de 40W gera o mesmo gasto de energia que uma lâmpada amarela de 40W. A diferença é que a lâmpada fria (como é chamada por não conter fios em seu interior, diminuindo assim drasticamente a sua temperatura) emite cerca de 3 mil lúmens, enquanto a amarela emite apenas 600 lm. Em vez de uma lâmpada incandescente de 40W para iluminar um cômodo, poderia ser utilizada uma lâmpada fluorescente de 8 W, que geraria o mesmo resultado e consumiria cinco vezes menos energia elétrica. Além disso, elas podem durar até 6 vezes mais e serem ligadas e desligadas rapidamente, sem o risco de serem queimadas como as lâmpadas comuns.

Por outro lado, elas também apresentam algumas desvantagens, como por exemplo, o preço da unidade, que pode chegar até 3 vezes mais que a incandescente. Por isso, ela é considerada uma lâmpada de investimento a “longo prazo”. Mas o maior problema esta na parte ambiental pois em sua composição está presente o mercúrio que é extremamente tóxico, além disso, ele é teratogênico, mutagênico, e pode trazer problemas de mau desenvolvimento fetal e diversos problemas no organismo do indivíduo que for contaminado. Portanto este material necessita de um cuidado especial em seu descarte. A Secretaria Municipal do Verde e Meio Ambiente de Mogi das Cruzes realizou em 2014 em dois ecopontos da cidade, localizados no Jardim Armênia e no Parque Olímpico, um processo de reciclagem destas lâmpadas, para onde cada cidadão poderia levar até 10 unidades e a coleta seria feita até que se atingisse a marca de 7.500 peças. A campanha funcionou e em pouco mais de duas semanas a meta foi cumprida.

Ecoponto Parque Olímpico. Foto: Divulgação PMMC

Ecoponto Parque Olímpico. Foto: Divulgação PMMC

OBS: O secretário do Verde e Meio Ambiente de Mogi das Cruzes, André Saraiva, foi procurado para a reportagem na função de fonte especialista, mas não pronunciou sobre o assunto.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s